Uma vontade de fazer um coletivo que mostrasse a força do empreendedorismo de pequeno e médio portes e que as Marcas que viriam desses empreendedores poderiam ter uma vitrine que deixasse ver sua relevância através de conteúdo que as humanizassem, que mostrassem o quão relevantes para elas é a formação de uma sociedade mais justa, mais consciente. 

 

Além disso, sabe-se que aquele que produz ou presta serviços de forma mais modesta tem dificuldades de fazer concomitantemente sua divulgação. Onde se encaixa perfeitamente o dizer “juntos nos fortalecemos e divididos nos enfraquecemos” e, se não for assim, é algo parecido.

 

Surge, então, o Empório Vitrine no finalzinho de 2019, com eventos presenciais levando, naquela época, produtos para as pessoas, mas já com valores que se mantêm até os dias de hoje: informação, artes, sobretudo marcas que tenham a ver com qualidade de vida e propostas diferenciadas.

 

O ano de 2020 veio com a pandemia e tudo se transformou em on-line. Mas voltemos a abril deste ano. O que já seria um Festival, por juntar mais Artes, passou a ser Festival on-line: um período de dias quando as Marcas que vinham sendo trabalhadas tiveram um fôlego, um ápice, com dias falando sobre elas e sobre apresentações de momentos de informação e entretenimento por vídeos e Lives.  

 

Dessa forma, foram 7 meses de Festival, um número que, para alguns, é o da transformação; e de fato foi transformado no Sopro de Mudanças, tema do 7º Festival, que aconteceu em outubro de 2020, prestigiando o elemento ar, algo peculiar ao EV (apelido carinhoso do Empório Vitrine), que usa os elementos para darem temas aos seus eventos. Nesses 7 meses, tivemos parcerias maravilhosas, umas vieram e passaram, outras permaneceram e ainda outras surgiram mais recentemente. E sabe-se que tantas outras vão vir.

 

Assim, aprendizados inúmeros – e ainda em processo, sempre em construção, em desenvolvimento, algo bom para a vida. De fato é momento de mudanças. Pandemia abrindo cada vez mais, pessoas já saindo pra “night” e um certo esgotamento de tanto virtual que, sim, veio para ficar, mas que cede espaço para mais fluidez, menos tempo de Festival EV. E este se transforma no mês de novembro em Mini Festival, menos tempo, porém talvez mais dias – tudo depende da campanha de apoio que o Empório Vitrine busca para algumas ações que acontecem nesse evento, inclusive campanhas sociais.

 

E assim esse bebê tamanho grande, EV para os íntimos (risadinhas), vai para uma nova fase com seu Mini Festival no dia 13/11 com o tema “Bons Ventos”, falando sobre sua nova ação social, com os artistas, com a informação no bate-papo (ex. Roda de Conversa) com Jana Melo, do Dandara Soul, salão especializado em cabelos crespos e cacheados, e Elizângela Simões, expositora-serviços do EV de aromaterapia. As empreendedoras falarão sobre cabelos étnicos tratados de forma mais natural – identidade na raiz. E na sequência do dia 13/11, às 20 horas pelo link do Zoom, acontece o  Remate Colaborativo, uma nova parceria que se firma com Carla Rocha, da Ametista Eventos. 

 

Esses Bons Ventos ajudando ainda mais, trazendo novos apoiadores financeiros, teremos mais artistas em 20/11, a segunda data do Mini Festival; contudo ressalta-se que já teremos bate-papo, cujo título é surpresa, com Móises António, professor, escritor e poeta angolano, e Max Kohl, artista plástico e designer de longa data.

 

Desse modo, o Empório Vitrine segue seu fluxo: acreditando que as águas da adaptação, a terra dos caminhos e os ares dos pensamentos que realizam estão a favor de sua missão.