Cansei-me de ouvir o martelar de meus pensamentos questionadores, há muita gente vivendo nesse lugar.

Por que a opinião dessas pessoas, que nem sequer as conheço, importa tanto para mim?

Espere aí, elas estão me controlando! Não, isso é um equivoco, quem está me controlando são os monstros que se escondem dentro de mim, se não me vejo realmente como sou, não vejo a ti, nada verdadeiramente sinto.

Ah quanta bobagem…devo estar apenas entediada.

Pego o celular, redes sociais, vou interagir um pouco.

Sinto-me melhor, quantas novidades por aqui, mas o que houve? Já retorna um vazio, conectei-me à internet e internalizei uma ausência ainda maior, nada parece real por aqui.

De que estou fugindo? Em que espaço fica este lugar para onde realmente quero ir e como posso me encontrar? 

Creio que ainda não estive lá, apenas o visualizei em alguns devaneios, quando pude espiar por uma pequena fresta de luz o que existe neste lugar. 

No entanto, logo volto, meus monstros egoicos me puxam de volta para cá.   

Estou decidida, vou me desligar dessas camadas invisíveis, a um passo de conhecer o que realmente há.  Respiro, fecho meus olhos. Aqui dentro ainda ventania. O que os olhos veem já não mais me importam, então me entrego a um sono profundo, nada falta.

Agora começo a entender o que é viver o presente. Suposições!

Texto/autora: Renata Oliveira

Área de Atuação: Arte Literária

Arte gráfica e ilustração: https://www.unplash.com

Projeto Editorial: Tess Villa