Atualmente, devido a nossa nova realidade de isolamento, professores, alunos e principalmente os pais, precisaram adequar-se ao novo. O computador e o celular que, para muitos, era só uma ferramenta de distração, hoje é a maior ferramenta de trabalho.

Professores assumiram o papel de “youtubers pedagógicos” , precisaram se reinventar, voltar aos bancos escolares para aprender sobre essa nova ferramenta de ensinar.

Em contraponto, os pais se depararam com inúmeros trabalhos dentro da própria casa, que não eram os domésticos de sempre, mas sim, uma árdua tarefa de auxiliar os filhos em tarefas que já estavam esquecidas em alguma parte do passado escolar.

Para os alunos, o chato e cansativo ”ir para a eOs pais, verão que não é tão fácil assim ensinar para aqueles que, muitas vezes, não querem aprender; os alunos, notarão a falta que faz o convívio diário com amigos, colegas e professores. Que acordar cedo e ir para escola, é mais legal do que ficar na frente do computador, uma manhã inteira, sem sair de casa; e nós, professores, sairemos dessa, com mais vontade de trabalhar, com olhos abertos para um novo horizonte, pois estamos aprendendo que somos capazes de nos superarmos, de aceitarmos outras formas de ensino. Que amanhecer e anoitecer em frente ao computador montando e gravando aula, não são tão ruins assim, é preciso apenas começar.

Para os alunos, o que era chato e cansativo “ir para a escola”, virou um motivo de saudade, até dos professores. Saudade dos colegas, de estar perto, da cantina e das brincadeiras no intervalo. As explicações não são tão chatas, pois a distância, os fez vê-las de outro jeito.

Sairemos iguais ao final dessa pandemia? Certamente que não!

Aprendemos o quanto faz falta um abraço, um papo com os amigos, poder ir e vir sem se preocupar com máscaras ou com um inimigo que não enxergamos.

Se houve alguma coisa boa com a chegada desse vírus, foi a descoberta que nas adversidades, somos mais fortes, somos capazes de aprender coisas novas, e que nossa missão com os alunos, não se restringe a lousa e giz. Que, como sempre, acertando ou errando, não abandonamos nossos alunos e nem a nossa árdua, mas admirável, missão que é de levar conhecimento e, também, aprender com nossos alunos.

Meus agradecimentos a todos os professores, responsáveis e alunos, que não desistiram de lutar, mesmo diante de todo o caos!

 

Texto: Carla Tancredo

Instagram: @ctancredo

Área de Atuação: Professora

Arte Gráfica: @villaskohl 

Projeto Editorial: Tess Villa